quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Devagar

Essa semana ouvi em uma música: Levo a vida devagar pra não faltar amor. Me lembrei de quantas vezes eu fui surpreendida por alguma beleza descoberta em um dos meus trajetos de rotina (casa-faculdade) simplesmente porque eu passava tão ocupada e envolvida com meus problemas que não prestava atenção no que estava a minha volta. Lembrei de quantas vezes eu pedi a Deus que solucionasse os meus dilemas e esqueci de olhar o que estava dando certo a minha volta. Quantas vezes eu me preocupei tanto com o dia do grande milagre e não percebi que existiam milagres todos os dias.  Deus me mostrou que é um Deus de início e fim, mas também está no meio, no processo. Ele é o caminho. A chegada e a partida tem a sua importancia, mas existe beleza no trajeto. Afinal, o que faz minha vida diferente da sua é exatamente o que fizemos enquanto vivemos, porque o início e o fim é igual a todos. Então, deixemos a pressa de lado pra encontrar com Deus em cada milímetro de caminho. Sempre devagar pra não faltar amor, nem beleza e muito menos companhia.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

O necesserio

Hoje percebi que é muito mais fácil depositar minhas ansiedades nas costas de Deus como se dissesse se vira e resolva do que investir tempo falando com Ele e ouvindo o que Ele realmente quer me dizer. Digo, Ele é Deus, onisciente e onipresente, Ele nos conhece melhor do que nós mesmo, não precisa da nossa boa vontade para saber do que precisamos. Às vezes estamos tão atarefados com nossa vida superficial e finita que a voz de Deus passa imperceptível aos nossos ouvidos. Ele quer as nossas lagrimas de confissões, nossos agradecimentos e principalmente a nossa obediência.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Diante de Ti

Meu coração dispara
Minhas mãos soam
Minhas pernas tremem


Meus pés parecem flutuar
Meu corpo não consegue parar
É como se eu não estivesse aqui


É assim que me sinto quando Teu Espírito vem me visitar
É assim que eu fico quando ouço Tua voz a me chamar
É assim que Te entrego um coração disposto a ser moldado por Ti

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Um convidado ilustre

Quarto fechado já e quase madrugada. A avenida movimentada mas parece um cemitério, da casa agitada não se ouve mais nada e  pra ficar perfeito só me resta o convidado da noite.  Aquele que tem poder pra libertar cativos, sarar enfermos e  até ressuscitar alguém já morto. O que é gigantesco e consegue morar dentro do meu coração, o criador do Universo, o Soberano, aquele que me ama mais do que a mim mesma, quem esta comigo todos os dias da minha vida mesmo que na maioria das vezes eu nem o perceba.  Esta noite me encontrarei com aquele que deu a sua vida por mim e hoje me tem como seva. Sim, hoje ficarei face a face com Cristo.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Cai

Caminhei sozinho
Cobri meus erros
Andei por minha vontade
Cai

Estive sujo
Estive ferido
Estive só
Lembrei que sou fraco

Levantei-me e não foi sozinho
Minhas lágrimas secaram
Fui sarado
Permaneci de pé

Sei que as pedras não acabaram
Sei que cairei
Sei que chorarei
E ainda sim talvez eu não aprenda

Importante é saber que estais comigo
Que tens um plano pra mim
Que não importa o quanto eu caia
Você sempre estará ali

Para me abraçar
Me colocar em Seus braços
E com um beijo
Me fazer descançar

Vazio

Abandonar meus sonhos
Esquecer minha vontade
Secar as minhas mãos
Me esvaziar

Te conhecer
Me surpreender
Te sentir
Me encontrar
Me esvaziar

Ser quebrado
Ser moldado
Ser restaurado
Me esvaziar

Me esvaziar para me apaixonar
Me esvaziar para me entregar
Me esvaziar para servir
Me esvaziar para Deus

Tudo corria bem...

A vida seguia seu rumo racional e constante. Os dias eram cada vez mais sutis e lentamente velozes.
Até que uma nuvem que parecia inofensiva inesperadamente decide lançar seus raios denunciando uma tempestade. Não demora muito e já me vejo ilhada mediante a força incansável de suas gotas.
E lá estava eu, sem me mover, sem saber o que fazer. Os escombros me incomodavam ao ponto de machucar por algumas vezes.
E foi ali onde contraditoriamente rodeada por restos de destruição me senti acolhida.
Por que é necessário que eu caia para me lembrar que Tu és quem me sustenta? Por que é necessário que o teto desabe para que eu lembre que ainda existe a lua? Por que é necessária a tempestade para que eu lembre que existe um Deus?
Caio em mim, percebo minha infiel dependência.